-FALSOS APÓSTOLOS! FALSA GRAÇA!

-FALSOS APÓSTOLOS! FALSA GRAÇA!

Dados:

Nome:Paulo Alexandre

 

Mensagem:

OS PASTORES MENTEM SOBRE A PALAVRA!

 

 

Caro irmão Caio,

 

Me faz muito bem sentir e te chamar assim, pois não tive este prazer de relacionamento sanguíneo.

Ontem (sábado) fui convidado para assistir um culto de um “apóstolo”.

Num determinado momento de sua pregação, ele exclamou em alto e bom som:

"Quando um homem comete um crime, ele está em pecado? NÃO, claro que não!

Ele somente será preso pelo crime que cometeu, pois Jesus levou nossos pecados na Cruz".

Tenho minha opinião formada sobre este assunto, mas gostaria de saber sua posição com relação a este depoimento de uma pessoa que pensa e expande tais idéias por 19 paises.

Em Apocalipse 22, vs.18 e 19, estão nossas esperanças de um julgamento fiel, feito por Ele.

Pois terríveis são as conseqüências do erro disfarçado de verdade, e que hoje se alastram por este planeta!

Como mudar esse quadro?

Cada vez mais, estou convencido que devemos por devoção, obrigação e fidelidade para com Ele, colocar em prática Romanos 10: 14, 15 e 16.

Pior que não conhecer “As boas Novas” é conhecer inverdades sobre o verdadeiro sentido da Palavra.

Na medida do possível, e muitas vezes do impossível, temos, eu e minha mulher, viajado pelo Brasil e exterior, levando “As boas Novas” para as pessoas que não O conhecem.

O que percebemos, é que lamentavelmente , a visão do “apóstolo”, que teve seu início numa verdade pouco difundida, foi perdendo consistência pela vaidade e megalomania do homem.

 

Com Ele,

 

Paulo Alexandre

***************************************************

Resposta:

 

Meu amado Paulo Alexandre:

 

No sábado também alguém me trouxe um folheto desse mesmo apóstolo.

O texto será logo a seguir transcrito na íntegra, aqui no corpo desta minha resposta.

Literalmente se trata de uma tentativa de transformar a Graça de nosso Deus em libertinagem.

Não basta falar em Graça!

A Graça que não seja conforme a Verdade da Palavra, é apenas "doutrina de Balaão", ou, no dizer do Apocalipse, é "doutrina dos Nicolaítas".

Leia o conteúdo do folheto do "apóstolo".

Depois eu volto dizendo o que penso sobre essa Falsa Graça.

 

***************************************************

 

ANTES

Havia Pecado – João 1:29

Lei de Moisés – Mat. 5:17

Morte – Rom. 5:12 e 17

Obras – Rom. 10:5

Jesus de Nazaré – 1 João 2:6

Inferno – Mat. 18:9

Apóstolos – Marcos 3:13, 14

Evangelho da Circuncisão – Gal. 2:7

Deus te Abençoe – Num. 6:24-26

Satanás está Vivo – João 12:31

Arrependimento – Mat. 4:17

Adoração – João 4:24

Crentes Judaizantes – Gal. 2:14

Batismo em Água – Mat. 3:1-6

A Páscoa Judaica – Mat. 26:17

A Escritura foi Inspirada – 2 Tim. 3:16

Rudimentos – Heb. 9:10

Sábado de 24 horas – Deut. 5:12

O Velho Pacto de Pé – Mat. 5:17

 

DEPOIS

Removeu o Pecado – Heb. 9:26

O Fim da Lei – Rom. 10:4

Vida – Rom. 5:17

Fé – Efes. 2:8

Cristo, o Ressuscitado – Rom 7:4

Inferno – (Paulo não fala do Inferno)

Apóstolo – 1 Cor. 4:15

Evangelho da Incircuncisão – Gal. 2:7

Cristo nos Abençoou – Efes. 1:3

Satanás foi Destruído – Heb. 2:14

Reconciliação – 2 Cor. 5:18-20

Louvor – Efes. 1:5, 6

Cristão – Atos 11:25, 26

Batismo em sua Morte – Rom. 6:3

Nossa Páscoa é Cristo – 1 Cor. 5:7

O Evangelho foi Revelado – Gal.1:11, 12

Deixando os Rudimentos – Heb. 6:1

Sábado Eterno – Heb 4:9, 10

Remove o Primeiro – Heb. 10:8, 9

 

Você sabia que por 2000 anos todos os crentes tem estado antes da cruz? Jesus Cristo ressuscitou, deu fim a lei de Móises, removeu o pecado, destruiu o diabo e revelou o seu Evangelho ao apostolo Paulo.

Infelizmente não se tem honrado o que Cristo fez na cruz. Os crentes vivem, oram, cantam e falam como se o que aconteceu na cruz fosse em vão.

Nos lhe convidamos a não ter por imundo o sangue de Jesus Cristo, nem fazer afronta ao Espírito da Graça. Comece desde hoje a viver depois da cruz, crescendo em graça e submetido unicamente ao Evangelho pregado por Paulo. Você e um Abençoado!

 

***************************************************

Agora eu volto, digo: eu, Caio.

 

Inicialmente, quero dizer que os erros desse "apóstolo" são os seguintes:

1.         Ele assume que a Cruz Histórica foi o que nos trouxe a salvação. Engano: a Cruz Histórica manifestou no tempo e no espaço a salvação que existe desde antes que houvesse mundo, e que é fruto dos trabalhos da alma do Cordeiro de Deus, desde sempre. Se for diferente, ele, o "apostolo", está dizendo que os que se salvaram Antes, o fizeram pelas Obras da Lei. Porém, como Paulo disse, pelas obras da lei ninguém é justificado, e nem jamais o foi.

2.         O N.T. não nos oferece uma salvação histórica sem Umbigo. Ela teve seus preceptores. A Cruz do Cordeiro imolado antes da fundação do mundo é a Metafísica de todas as coisas. Antes de Deus dizer "Haja Luz", Ele disse "Haja Cruz". Sem a Cruz não haveria nem mesmo qualquer Luz que pudesse existir. Tudo foi criado por meio Dele e para Ele. Ele é antes de todas as coisas. Nele, tudo subsiste. Quem não entende isso, fica sempre preso a bôba linearidade da historia, e não percebe que mesmo Antes da Cruz Histórica, ninguém jamais foi justificado sem fé na justificacao que vem de Deus, pois, sem derramamento de sangue, não há remissão de pecados.

3.         Todos os que nos precederam foram justificados pela fé na Graça de Deus. Esta é a tese dos Evangelhos (que evoca a Davi e Abraão com freqüência, a fim de dar testemunho de nossa grande salvação pela fé no Filho de Deus).

4.         Esta é também a tese de todos os apóstolos, sendo Paulo o maior deles na explicitação e compreensão verbal e existencial daquilo que em Cristo foi revelado. Mas assim como nós sem "eles" não seríamos aperfeiçoados, tampouco Paulo, sem os demais apóstolos, está completo. Repito: ninguém entendeu melhor a revelação do que Paulo, mas ele não era a Revelação, e nem tampouco seu único interprete autorizado.

5.         Somos Igreja erigida sobre o Fundamento dos Apóstolos e Profetas e Cristo é a Pedra Angular desse edifício—foi isto que Paulo ensinou, no caso desse "apóstolo" não saber. E esse tal "apóstolo" não foi incluído entre os Apóstolos e Profetas, e ainda tenta falsificar o fundamento que está posto?!

6.         Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e eternamente--é o que declara a epístola aos Hebreus. E a viagem que a epístola faz, vai do meta-histórico (Melquizedeque), aos personagens marcantes da história—todos eles—, e conclui com a total impossibilidade de que alguém sem fé possa agradar a Deus (Heb 11). É nesse "contexto" que se diz que Jesus não mudou. Ele é o Alfa e o Omega, o Principio e o Fim. Tudo sempre foi como tudo é. Nós é que não sabiamos disso!

7.         Portanto, o Antes e o Depois históricos são marcas visíveis de um Antes e um Depois metafísico e que também são de natureza existencialmente subjetiva. E mais: os beneficios dessa Graça sempre foram apropriados pela fé—seja antes ou seja depois. Sim, sempre foram apropriados unicamente pela fé na justiça da Graça de Deus.

8.         Como diz Paulo, Deus é Aquele que justifica o ímpio que crê, mas tal fé desemboca em obediência ao Evangelho da Graça.

9.         O "apostolo" ouviu o galo cantar, mas não sabe onde. Está perdido em si mesmo. Portanto, insinua a inexistência do inferno, da não necessidade de obediência, afirma a extinção do Diabo já agora, cria uma total dictomia entre salvação e a deliberada conduta criminosa—confundindo o que aconteceu com o ladrão, que morreu ao lado de Jesus, com a possibilidade de se viver deliberadamente em atos malignos apenas por se ter feito a confissão de que Cristo salva—; e, como não bastasse, comete um crime contra Paulo, que o faria revolver-se na tumba. Ora, foi Paulo quem disse que até se ele mesmo, Paulo, ou qualquer um outro apóstolo—mesmo que fosse um anjo de Luz—, pregasse "outro evangelho", que fosse anátema!

10.       Assim, digo eu, com temor e tremor, em nome de Jesus, de Seus apóstolos e de todos quantos viveram e morreram pela fé no Evangelho de Cristo, que esse tal apóstolo é um obreiro fraudulento, pois, falsifica a Palavra da Graça, conforme o Evangelho de Cristo.

11.       Esse "apostolo" está fazendo mais mal ao Evangelho da Graça do que aqueles que ainda estão na Lei. E por que? Ora, os que estão na Lei podem ainda vir a crer na Graça de Jesus. Mas o que esse homem esta fazendo é falsificar a Graça de Deus, pervertendo o caminho da salvação.

12.       E para ele, digo eu: o Diabo anda em derredor, procurando alguém para devorar. O Diabo perdeu o seu poder de oprimir a todo aquele que crê que "o escrito de dívidas foi rasgado e encravado na Cruz", mas continua vivíssimo tanto para os que se gloriam na Lei, quanto também para os que transformam a Graça de Deus em libertinagem, falsificando o Evangelho.

13.       Nos dias de Paulo houve aqueles que tentaram apanhar os ensinos do Evangelho da Graça e transformá-los em libertinagem. Com relação a esses tais, Paulo diz que também são inimigos da Cruz. São os que julgam que a Cruz é uma licensa para matar, e que nela temos o descanso para vivermos conforme as inclinações de nossa carne, nossa torpe disposição mental, e um andar de mundano proceder. A Graça de Deus também implica em viver em Justiça e Verdade, conforme o Evangelho!

14.       Os judaizantes eram inimigos da Cruz de Cristo(e como eles, todos os legalistas!), mas esses tais "apóstolos", também o são.

15.       Minha recomendação é: epístola de Judas neles, meus irmãos!

16.       Além disso, esse "apóstolo" insinua que batizar, celebrar a ceia, e manter-se firme nas coisas que estão instituídas, e que sempre foram celebradas pelo povo de Deus, conforme a Escritura, são realidades que Agora devem ser abandonadas. Esse é mais um sintoma do espírito de seita que domina o ensino desse falso apóstolo. Ele acha que nasceu sem umbigo. Pensa que a revelação veio apenas para Paulo, e que de Paulo passou para ele. É também um espírito Papal. "Presunçoso" é o seu nome!

17.       Quanto ao inferno, devo dizer a todos que ele existe mesmo. Existe não como o inferno fácil, para o qual os evangélicos enviam a todos os que não são evangélicos; e nem tampouco existe como o inferno neurótico, e que é a razão dos crentes pregarem e obedecerem, conforme o pobre entendimento dos cristãos nervosos, e que servem a Deus por medo de fogo. Eu nao sirvo a Deus por medo do inferno e nem por cobiçar um loteamento com mansão na celestialidade.

18.       Eu sirvo a Deus por Deus. E, se ao final, Deus decidir que o inferno esta suspenso, alegrar-me-ei com Ele e Nele. Mas, enquanto Ele nao disser tal coisa, o que vale é o que esta dito. E a Palavra de Deus não pode ser falsificada. E para esse falso apostolo, devo trazer a lembrança que Paulo falou muito mais de inferno do que ele imagina. O problema é que ele imagina um inferno infantil, e que só se deixa definir como tal quando a palavra "inferno" é mencionada. Paulo falou, todavia, de perdição, de eterna destruição, de banimento da face do Senhor e da Gloria de seu poder, etc...Eu, todavia, muito me alegrarei se um dia o inferno for tragado para dentro do Nada. Mas, como sou submisso ao Revelado, devo advertir a todos que enquanto Deus não disser outra coisa, vale apenas o que está dito. E mais: se Deus disser outra coisa será depois do Tempo, e, nesse caso, também não será por uma "nova revelação", mas por um ato Seu, Universalmente Público, de decisão Soberana. E quem irá contestá-Lo?

19.       Peço a todos que atentem muito bem. Vivemos em dias muito maus. E muitos há que saíram por aí pregando falsos evangelhos. Há os que o pregam como medo; há os que o pregam por ganância; há os que o pregam por inveja; há os que o pregam por pretexto; há os que o pregam por interesses financeiros; há os que o pregam por doença de suas próprias almas; e há os que não pregam nenhum evangelho, mas que se utilizam da "grife" a fim de corromper a Palavra. Entre esses estão tanto os que fizeram do "evangelho" um grande negócio—e eles abundam entre nos, usando os termos e as nomenclaturas da Escritura, enquanto falsificam os conteúdos da Palavra—, como também há os que cada vez mais falarão sobre uma graça que não é de Deus, mas uma mera falsificação humana, na maioria das vezes a fim de justificar seus próprios atos.

20.       Eu, todavia, mesmo que morra confessando minhas incoerências, quero que todos saibam que não sou nada além de um pecador, cheio de ambigüidades e falhas, mas que foi comprado e lavado no Sangue do Cordeiro; e, portanto, jamais acrescentarei ou diminuirei o que está revelado, conforme a Palavra do Evangelho de Cristo, mesmo que seja contra mim. Seja eu mentiroso em mim mesmo, desde que a Palavra de Deus seja verdade em minha boca. Busco, todavia, andar conforme já tenho alcançado, ainda que não tenha atingido tudo aquilo que já compreendo. Entretanto, jamais acomodarei a Verdade do Evangelho, entregue uma vez por todas aos santos, às incoerências de minhas ambigüidades pessoais.

21.       O que ouvi e li desse "apostolo" me soa muito mais como uma acomodação pessoal do "evangelho" à sua própria conduta, que a uma ignorante interpretação. Então, fica pior ainda!

22.       Meu amigo Paulo, o Apóstolo, está agora na iminência de ser corrompido pelos falsos anunciantes de uma graça que Paulo se levantaria para combater. Como ele não está aqui, nós o fazemos, lutando juntos pela verdadeira fé evengélica, que, não necessariamente, tem alguma coisa a ver com os evangélicos!

23.       Que venham esses tais apóstolos. A Palavra não será adulterada por nós. Eles o verão. Espero que quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

 

Bem, amigo Paulo Alexandre, eu teria um livro inteiro para escrever com respeito a essa questão, que é grave. Mas vou ficando por aqui.

Sei que o Espírito vai fazer aquilo que homem nenhum pode realizar.

Que o Senhor guarde o Seu povo dos falsos apóstolos e dos ministros do inferno que se transformam em anjos de luz, conforme Paulo, o Apostolo.

 

Caio

Ps—Recomendo a leitura da Epístola de Judas, cuja versão atualizada está aqui neste site. Digo o mesmo da Epístola de Tiago. Transcrevi ambas aqui no site por já ter intuído que nosso maior problema agora já não são os legalistas—eses estão desmascarados!—, mas o apregoadores da Falsa Graça. Que Deus não lhes impute tão grande agravo!