-IGREJAS EVANGÉLICAS E A INDÚSTRIA DA FÉ

-IGREJAS EVANGÉLICAS E A INDÚSTRIA DA FÉ
-IGREJAS EVANGÉLICAS E A INDÚSTRIA DA FÉ

 

Ref. Mateus 21:12-13

 

O escritor aos Hebreus 11:01ª., nos dá a definição da genuína e verdadeira FÉ em Cristo, quando  nos diz o seguinte: Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos (de Cristo único mediador) I Timóteo 2:5, e a prova das coisas que não vemos (tradução NVI). Obviamente esta deve ser endereçada única e exclusivamente ao PAI NOSSO..., em nome do seu unigênito Filho JESUS DE NAZARÉ. O Apóstolo S. Paulo repito, em  I Timóteo 2:5 diz: Pois há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus, o qual se entregou a si mesmo como resgate por todos. (NVI). Vale ressaltar que a fé Cristã é monoteísta.

Nunca na história da humanidade a fé foi tão explorada como em nossos dias. Estamos vivendo crises em todas as áreas da vida moderna, principalmente financeira e saúde.

Assisti estarrecido a reportagem de um Sr. que por motivos financeiros, assassinou sua esposa, dois filhos, sua sogra e depois suicidou-se.

Esta situação mundial globalizada, está fazendo com que as pessoas de todos os níveis sociais, corram desenfreadas e desinformadas, buscando na fé religiosa, proteção e amparo para os problemas do seu cotidiano. Este é um quadro que está favorecendo enormemente os detentores, ou seja, a classe patronal das denominações ditas evangélicas com raríssimas exceções; cada qual montando o seu império particular de comunicação: ex. Redes de TV, rádio, jornais, revistas, periódicos etc.; numa concorrência de marketing arrojado, com a intenção evidente de manipular e explorar as pessoas religiosa e politicamente, multiplicando consideravelmente  seus patrimônios  com uma ganância sórdida. Aparecem com seus subordinados na mídia em geral, inclusive em horário nobre; treinados para a prática de charlatanismo, curandeirismo e promessas irresponsáveis de prosperidade financeira, atraindo para si multidões suas vítimas.

Em contraste, Jesus de Nazaré quando aqui esteve em forma humana, portanto Deus encarnado, ver Evangelho de S. João 1:1; em momento algum do seu Ministério, usou destes expedientes. Curou pessoas das mais diversas e graves doenças, (pois a medicina da época era muito primitiva); paralíticos andaram, cegos enxergaram, surdos ouviram a sua suave voz, mudos falaram,  ressuscitou mortos, multiplicou pães, transformou água em vinho etc. E o que dizer daquela mulher que sofria de uma  hemorragia ginecológica crônica há doze anos, estancada instantaneamente pelo ato de tão somente tocar na veste do NAZARENO;  (que contribuição financeira ou de qualquer ordem Jesus pediu a ela, S. Lucas 8: 43 a 48). Operou tudo isso e muito mais..., sem tirar proveito próprio de nada. Em alguns casos as recomendava que não contassem nada a ninguém; contudo afirmava “vá a tua fé te salvou”, isto significa que o mérito da cura ou do milagre se deve à fé de quem foi curado; não dos supostos milagreiros de plantão. A prioridade do Cristianismo é conscientizar pessoas a se relacionarem permanentemente com Deus, tomando posse da salvação eterna de suas almas. Romanos 10:9.

 

Pb. Ginaldo Américo.