-O VÉU ESTÁ TIRADO, APOCALIPSE, REVELAÇÃO... por que então você não vê?

-O VÉU ESTÁ TIRADO, APOCALIPSE, REVELAÇÃO... por que então você não vê?

 

Na narrativa de Lucas, escrita já depois da destruição de Jerusalém no ano 70, e, por sua vez, profundamente influenciada pela visão universal de Paulo sobre o Significado de Jesus para a humanidade; e, além disso, escrito também em razão do início da proliferação das narrativas sobre a vida de Jesus, umas boas e outras baseadas e lendas de ouvintes distantes — nos dá, como em nenhum outro Evangelho, uma visão bem clara do sentido histórico/escatológico da vinda de Jesus ao mundo a 2ª vez.  

Botando na ordem, que significa montar o texto levando em consideração os “antes dessas coisas”, ou: “depois daqueles dias”; ou: “mas o fim não será logo”, etc. — tem-se um seqüência historicamente confirmada pela História que se seguiu à escrita do texto de Lucas.

Primeiro viriam as perseguições aos apóstolos e discípulos.

Enquanto isto Israel estaria espalhado pelo mundo, entre todos os povos, até o tempo do começo do fim.

Então vem o mundo...

Guerras, conflitos, destronamentos, revoluções, destruições, terremotos, inúmeros acidentes naturais, e muitos candidatos a messias e a cristo.

Então, muita febre escatológica...  

“Ei-lo aqui...” “Ei-lo ali...”

Surgem então os fenômenos globais...

Nação contra nação... Reino contra reino... Angustia entre os povos... Clima descontrolado... Os oceanos enchendo... Mares gemendo estranhamente... Sinais estranhos nos céus... Perplexidade na terra... Medo do transbordamento dos mares... Pânico instalado na alma humana... Gente desmaiando de medo...

Enquanto isto, ira na terra contra os de Israel...

Então, sinais do céu... Sem explicação.

De súbito, os poderes do universo começam a se desistematizar... Começa a ser abalado na sua essência atômica... “Os poderes dos céus serão abalados...”

A insinuação do texto é de caos até que o que o Senhor venha.

Ora, é nesse mesmo espírito que o Apocalipse caminha.

No Apocalipse se tem os fundamentos da catástrofe humana e da redenção humana: os selos... Os demais elementos são todos decorrentes dos selos...

Os selos designam os pilares fenomenológicos de todos os poderes que se encadeiam a fim de fazer a história girar sempre...

Conquista, guerra, fome, peste, morte...

Então, o Inconsciente Coletivo fica cheio de vozes clamando por justiça nos céus...

Então, no 6º selo, um terremoto sem precedentes e que desconjunta todo o poder da civilização por um tempo...

Afinal, o 7º selo.

Ora, com ele vem o silencio...

Então iniciam outras seqüências...

Todas semelhantes, porém, sempre mais extensas e graves nas suas conseqüências...

Em Lucas nós temos um esqueleto histórico escatológico.

No Apocalipse nós temos carnes, nervos, juntas e ligamentos desse Corpo Universal de Morte.

Tanto nas narrativas escatológicas dos evangelhos como no Apocalipse, há algumas ênfases:

1ª os discípulos seriam perseguidos;

2ª Israel seria disperso até o fim;

3ª os poderes do mundo se agigantariam e se tornariam globais...

4ª as catástrofes naturais aumentariam sem precedente...

5ª surgiria um frenesi escatológico no mundo...

6ª a natureza entraria em processo de desconstrução sistêmica...

7ª grande surto de angustia de morte e pânico tomariam conta da alma humana no Planeta...

8ª profunda divisão política no mundo...

9ª grandes poderes prontos para guerras mundiais... entre nações; global...

10ª a desconstrução natural será tão extensa que o homem terá que se reinventar na terra...

11ª paradoxalmente, grande poderes estarão em curso, com poder de fazer o inanimado falar... e pensar...   

Ora, estou aqui escrevendo rapidinho enquanto meu café da manhã aguarda e esfria...

Teria muitas outras coisas a dizer. Especialmente se olhasse apenas para os elementos do Apocalipse. Mas minha intenção é apenas dar a você um gostinho que o ponha no caminho de você mesmo fazer a sua própria leitura.

Vou tomar o meu café...

 

Um beijo.

 

Nele, que vem,

 

Caio Fabio.