-MORRE JOHN STOTT, UM DOS MAIS PIEDOSOS LÍDERES CRISTÃOS DO SÉCULO XX.

1921-2011

 

Por Renato Vargens

 

Acabou de falecer aos 90 anos o Pr. Anglicano John Stott.

 

É com pesar que recebi a noticia do falecimento de um dos maiores pastores evangélicos de todos os tempos.

 

Particularmente eu devo muito a este grande homem de Deus. Seus livros contribuíram significativamente para a minha formação teológica.

 

John Robert Walmsley Stott, CBE (27 de abril de 1921 – 27 de julho de 2011) foi um líder Anglicano britânico, conhecido com uma das grandes lideranças mundiais evangélicas.

 

Serviu como Presidente da Igreja All Souls em Londres desde 1950. Estudou na Trinity College Cambrigde, onde se formou em primeiro lugar da classe tanto em francês como em teologia, e é Doutor honorário por varias universidades, na Inglaterra, nos Estados Unidos e no Canadá.

 

Uma de suas maiores contribuições internacionais são os seus livros. John Stott começou sua carreira como escritor em 1954 e escreveu mais de 40 títulos e centenas de artigos, além de outras contribuições à literatura cristã.

 

Entre os seus títulos mais famosos estão:

 

Cristianismo Básico.

Crer é Também Pensar.

Porque Sou Cristão.

A Cruz de Cristo.

Eu Creio na Pregação.

Firmados na Fé.

Cristianismo Equilibrado.

Entenda a Bíblia.

Cristianismo Autêntico.

O Perfil do Pregador.

Ouça o Espírito, ouça o mundo

 

A sua obra mais importante, Cristianismo Básico, vendeu mais de 2 milhões de cópias e já foi traduzido para mais de 60 línguas. Billy Graham chamou John Stott de “o mais respeitável clérigo no mundo hoje”.

 

John Stott, combateu o bom combate, completou a carreira e guardou a fé!

 

Com dor no coração.

-PASTOR MILAGREIRO NA ÁFRICA, PESSOAS MORREM NA FILA DO MILAGRE.

Na Tanzânia, África, a busca por cura para as mais diferentes doenças está cada vez mais forte. Em um país que tem em sua maior crença a magia negra e outras formas de feitiçaria que não dão certo, um Pastor curando uma pessoa através de um milagre de Deus é tido como a última esperança para quem está desesperado por ajuda.

 

O problema é que o desespero das pessoas acaba acarretando em consequências alarmantes. Milhares de pessoas formaram uma fila de, até então, 26 quilômetros começando na casa do Pastor Ambilikile Babu Mwasapile que, segundo o povo, consegue curar as pessoas com um chá abençoado que faz.

 

Na fila existem pessoas de outros países também, como o Quênia, além de toda a espécie de doenças e doentes, inclusive terminais, que foram retirados dos hospitais pelas famílias para serem curados pelo pastor. Cerca de 52 pessoas já morreram na espera que fica em um local sem água, comida ou local para banho.

 

Para evitar mais mortes, o pastor pediu para que ninguém mais o procure. A polícia foi deslocada para o local para conter a multidão. 

-PASTOR AFIRMA “CANCELAR, APAGAR, REMOVER E DESTRUIR” AS DÍVIDAS DOS FIÉIS, SE LHE ENVIAREM DINHEIRO.

Peter Popoff faz carreira como televangelista conduzindo uma cruzada nos Estados Unidos que combina espiritualidade e superação de vícios. Segundo ele. O atual carro-chefe do pastor americano de 64 anos é o “poder” de ajudar pessoas a se livrarem milagrosamente de dívidas apenas com oração.

“Estou dizendo a você que Deus ensina na Sua palavra que Ele quer cancelar, apagar, remover e destruir a sua dívida”, diz Popoff em um comercial na TV. Ele garante ter poderes sobrenaturais.

Claro, livrar-se das dívidas tem o seu preço. Popoff envia aos seus seguidores um kit de cancelamento de dívida, em troca de doações.

“Ele é, fundamentalmente, um enganador. O cancelamento sobrenatural de dívidas é uma bobagem, sem qualquer embasamento bíblico”, disse Ole Anthony, presidente da Trinity Foundation, entidade que fiscaliza líderes religiosos, principalmente aqueles ligados ao televangelismo.

O império de Popoff, americano nascido na Alemanha, está baseado em Upland (Califórnia). Ele possui uma mansão no valor de 4,5 milhões de dólares, entre outros imóveis.

Fonte: G Notícias gospel.

 

-SUPREMO TRIBUNAL PROÍBE QUEBRA DE SIGÍLO BANCÁRIO DO BISPO EDIR MACEDO E DA IGREJA UNIVERSAL.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta quarta-feira que o Ministério Público de São Paulo não pode pedir a quebra de sigilo bancário de líderes da Igreja Universal do Reino de Deus. O MP de São Paulo tampouco poderá ter acesso a tais informações.

No entendimento dos ministros somente o Ministério Publico Federal poderá acessar essas informações e pedir a quebra de sigilo. A decisão foi tomada pela corte especial do STJ e pode ser objeto de recurso

Em agosto do ano passado, o TJ de São Paulo já havia suspendido o pedido do Ministério Público paulista aos Estados Unidos para a quebra de sigilo bancário de empresas ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd) naquele país. O pedido de quebra de sigilo e também de bloqueio de bens foi feito à Justiça americana pelo MP estadual pelo acordo de assistência legal mútua previsto entre os dois países.

Fonte: noticias.gospelmais.com.br

Publicado por Renato Cavallera (Perfil no G+ Social) em 04 de Março de 2011. 

-KAKÁ E CAROLINE CELICO.

“No momento eu estou bem, não vou em nenhuma igreja e estou bem”, disse Caroline Celico, mulher do jogador Kaká, ao IG gente. A declaração foi dada em 25 de Novembro, durante um evento de moda em São Paulo. “A revista “Veja”, publicou que o casal, conhecido pela devoção à Igreja Renascer em Cristo, rompeu com a instituição fundada por Sonia e Estevam Hernandes por motivos pessoais.” O meu tempo na Igreja Renascer acabou. E o que posso afirmar é que hoje minha busca constante é somente por Deus, disse Caroline à publicação. Até o momento, Kaká não tinha se pronunciado sobre a decisão no Twitter, seu meio de comunicação com os fãs.

Fonte: IG

-EX-EMPRESÁRIA FICA POBRE DOANDO DÍZIMO PARA IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS - IURD!

Cristovaldo Rodrigues.

Publicado no Jornal A Tarde em 07/05/2001

“Eles tomaram tudo de mim: casa, carro, emprego, e, por fim, o meu filho”. Este desabafo foi feito anteontem, no cemitério da Quinta dos Lázaros, pela ex-empresária Marion Terra, mãe do adolescente Lucas Vargas Terra, assassinado, além de ter o corpo carbonizado em um terreno na Av. Vasco da Gama, em Salvador, referindo-se aos pastores da Igreja Universal do Reino de Deus.

A mulher que freqüentava a IURD, no Rio de Janeiro, disse ter sido iludida e acabou dando tudo o que tinha, a título de dízimos, na “Fogueira Santa do Monte Sinai” e outras reuniões da “prosperidade”. “De média empresária, fui obrigada a me tornar uma cozinheira no restaurante de minha amiga na Itália, para tentar sobreviver. Para tomar esta decisão, praticamente me separei da minha família. O meu marido e meus filhos vieram morar em Salvador. Estávamos fugidos, diante das dívidas que constituímos. Quando Lucas foi assassinado, eu estava na Itália, disse Marion.

O sepultamento de Lucas foi marcado por muita dor e emoção. A família e amigos se encarregaram de distribuir uma carta, com o cabeçalho “Servo de Deus assassinado e carbonizado.” Nesse documento, os pais de Lucas traçam o perfil do filho e extraiu do seu diário algumas frases: “Não posso passar um dia sequer sem evangelizar, preciso ganhar almas para Jesus, pois, quando ele voltar não posso estar com as mãos vazias!!!”

“Sou feliz porque tenho Jesus, por isto, viver para mim é Cristo e morrer e lucro!!!, Lucas era um jovem feliz, calmo, equilibrado e obediente. Ele amava a vida, tinha muitos sonhos. O maior deles era ser obreiro e pastor”, relata a carta dos pais do adolescente.

Lucas desapareceu na noite de 21 de março, após a saída do culto do Espirito Santo, na Igreja Universal do Reino de Deus, no bairro Santa Cruz. Segundo as testemunhas, ele foi visto na companhia do pastor Silvio Roberto Santos Galiza, que o chamou “vamos, Lucas”, porem não mais o garoto foi visto.

Telefonema

Naquela mesma noite, Lucas ligou para o celular do pai e pronunciou a seguinte frase: “Meu pai, estou com o pastor Silvio na igreja do Rio Vermelho num propósito de oração, depois vou para casa”. Uma mãe de família que foi ao enterro do estudante, mostrando-se emocionada, disse que “Lucas foi um anjo que passou por aqui, fazendo o trabalho com os adolescentes.”

Os pais do garoto pretendem aguardar que o delegado Carlos Alberto, da 6ª. Delegacia, conclua o inquérito, indiciando o pastor Silvio Galiza como responsável pelo assassinato do filho.

(Transcrição da reportagem do Jornal A Tarde – do Estado da Bahia)

 

 

-Ex-diretor da igreja morre depois de denunciar IURD – Igreja Universal.

18 Dezembro 2009 Marcadores: Noticia da Verdade


Waldir Abrão dizia ter atuado como laranja em empréstimos feitos pela igreja.
Seis dias após ter registrado depoimento com acusações, ex-dirigente é encontrado ferido no prédio onde vivia; polícia investiga o caso.
Diretor da Igreja Universal do Reino de Deus entre 1981 e 1986 e vereador do Rio de Janeiro por três legislaturas, Waldir Abrão declarou ter sido usado como "laranja" -teve o nome usado sem consentimento- pela igreja em 20 operações de empréstimos fictícios que trouxeram dinheiro do exterior para a aquisição de uma TV de Goiânia (GO).
Abrão registrou um instrumento particular de declaração, de 23 páginas, no dia 18 de novembro no escritório Marzagão, Amaral e Leal Advogados Associados, de São Paulo. No documento, ele contou em detalhes como entrou na igreja nos anos 70 pelas mãos do líder Edir Macedo, os métodos de arrecadação da igreja e a suposta falsificação de sua assinatura em inúmeros documentos.
Seis dias depois de lavrar a escritura, passo inicial de uma futura ação judicial por cobrança de débito, Abrão, 81, foi encontrado caído no corredor do prédio em que vivia, no Rio de Janeiro, com um ferimento na cabeça. Ele morreu dois dias depois no hospital Souza Aguiar. A polícia investiga a morte.
Abrão anexou à declaração documentos que demonstram que, enquanto esteve ligado à igreja, ele realizou movimentações financeiras muito acima da sua capacidade. Por isso, foi autuado pela Receita Federal.
No auto da Receita, Abrão aparece como tomador de 20 empréstimos, no valor de Cr$ 25 bilhões (aproximadamente R$ 7 milhões em valores atuais), assinados entre 1992 e 1993 com as empresas offshore Cableinvest e Investholding, sediadas nas Ilhas Cayman.
Os empréstimos nunca foram pagos. Segundo Abrão, eram operações forjadas para internar dinheiro que havia saído do Brasil por meio de doleiros em operações de "dólar-cabo", um sistema clandestino de remessa de capitais.
As empresas Cableinvest e Investholding são as mesmas que estão no centro da denúncia oferecida pelo Ministério Público de São Paulo, em agosto, contra o líder da Universal, Edir Macedo, e no pedido de cooperação internacional protocolado pelos promotores de Justiça nos Estados Unidos.
Em 1997, a Receita cobrou de Abrão R$ 1,8 milhão, referente à multa sobre o imposto devido. Ele atribuiu a essa multa e às demais cobranças a decisão de registrar o seu depoimento.
Abrão contou ter entrado na igreja em 1977, quando ainda se chamava Igreja da Bênção. Ele afirmou que Macedo tinha o controle total da arrecadação. "Tanto na Iurd como na casa do bispo Edir Macedo, o dinheiro era contado e repassado para os doleiros que o encaminhava para o exterior", disse Abrão.
O aposentado narrou ter sido convidado por Edir para se candidatar a vereador no Rio, em 1988. "Na ocasião eu não sabia que o convite (...) iria sair tão caro para mim e que meu nome seria usado para ser o maior laranja da Igreja Universal."
A partir daí, ele e sua mulher apareceram como fiadores de aproximadamente 660 contratos de aluguel de prédios para templos. Alguns aluguéis atrasaram, e o casal passou a ser executado judicialmente.
Abrão descreveu a atuação dos parlamentares apoiados pela igreja: "O objetivo era fazer com que os políticos que foram eleitos pela Iurd aumentassem a arrecadação dos seus gabinetes, exigindo dinheiro dos interessados para aprovação de qualquer projeto que fosse necessário voto no plenário ou simples apoio político".
Nas reuniões com políticos, segundo ele, "o bispo Rodrigues ou o bispo Macedo sempre iniciavam o encontro perguntando se havia saído alguma coisa "boa" para eles". O ex-deputado Carlos Rodrigues deixou a igreja depois de ser citado
no mensalão, em 2005.
Abrão deixou igreja e se afastou da política. "Meu gabinete nunca alcançava as metas por não concordar em votar de acordo com os interesses da igreja ou cobrar por apoio".
Em dezembro de 1997, o ex-vereador foi procurado por um auditor da Receita. "Verifiquei, pelas cópias que recebi, que todas as assinaturas dos requerimentos e da procuração que estavam no processo da Receita pedindo a juntada de documentos para atender as exigências do Fisco, em meu nome, eram falsas", afirmou Abrão.
Ele disse que procurou "acertar as contas" com a igreja por telefone, por cartas e reuniões, mas não obteve resposta.

Folha Online/Notícias Cristãs


Fonte: http://www.pentecostalnet.com/2009/12/ex-diretor-da-igreja-morre-depois-de.html#ixzz0dbSoNYLC
Creditos :Pentecostalnet.com
Under Creative Commons License: Attribution

 

-EX-CANTORA EVANGÉLICA CRITICA EVANGÉLICOS E FUNKEIROS.

Depois de dois discos de musica evangélicos, um em 1997 e o outro em 2006, e a desilusão com os artistas gospel, Cláudia Machado resolveu dar uma guinada em sua carreira musical e acaba de se lançar como uma madame funk, com a musica Eu nasci para ser madame. “Sou cristã mas me decepcionei muito com os cantores evangélicos. Tem muita gente que canta uma verdade como sendo sua, mas não sentiu aquela emoção. Não dá para falar sobre certos sentimentos envolvendo Jesus sem ter vivido aquilo”, diz Cláudia, que conta ter sido muito criticada quando resolveu migrar para o funk: “Teve gente falando que eu tinha feito pacto com o diabo.” Mas a funkeira, que ainda trabalha como publicitária, parece não estar nem aí para as críticas e já aponta suas armas contra as novas colegas. “É muito triste ver uma mulher cantando um funk, em que a mulher é tratada como objeto. Quero ser bem tratada”, diz a madame funk. E continua: “Essas letras que estão por aí não podem ser ouvidas por toda a família.” Ex-cantora de coral, ela ainda é mais dura quando avalia a qualidade das concorrentes: “Não dá para dizer que estas meninas como a Valeska e a Tati (Quebra barraco) são cantoras. Elas só gritam. Não cantam nada.”

Confira a letra da música:

Eu nasci prá ser madame.

Cabelos enrolados, lisos cacheados.

Andar de salto alto, ter sempre um rebolado.

Gosto de passear, gosto de me cuidar.

Minha pele bem macia,

Tudo em cima prá te amar,

Ame, ame, ame,

Eu nasci prá ser madame,

O brilho do meu olhar te deixa enfeitiçado.

Minha boca te conquista, eu sou sua alquimista.

Meus desejos saciados.

São a sua garantia.

Então me ame, ame.

Eu nasci prá ser madame.

Ame, ame, ame.

Eu nasci prá ser madame.

Fonte: UAI/NC.

  

-CASO EDIR MACÊDO E IGREJA UNIVERSAL             

A notícia que você lerá a seguir pode ser surpresa para você, mas não para mim!

Até agora a investigação só retroagiu 10 anos. Se, porém, chegar até 1989, ver-se-á o impensável; ou seja: os mais nojentos patrocinadores desta “igreja” e de seus negócios...

Caio Fabio

11 de agosto 

Leia a reportagem... 

Edir Macedo e mais 9 viram réus por lavagem de dinheiro

Eles são acusados de usar a Igreja Universal para fraudes; foram localizados milhares de depósitos em favor da instituição

Da Redação, com Agência Estado

A Justiça de São Paulo acatou nesta segunda (10) a denúncia contra o bispo Edir Macedo e outras nove pessoas ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Eles são acusados de integrarem um esquema envolvendo empresas de fachada, que remetiam ao Exterior dinheiro obtido com doações de fiéis, segundo o Ministério Público Estadual (MPE). Esse dinheiro, depositado em paraísos fiscais, voltava ao Brasil em forma de contratos de mútuo utilizados para a aquisição de empresas.

Além de Edir Macedo, foram denunciados Alba Maria da Costa, Edilson da Conceição Gonzales, Honorilton Gonçalves da Costa, Jerônimo Alves Ferreira, João Batista Ramos da Silva, João Luís Dutra Leite, Maurício Albuquerque e Silva, Osvaldo Scriorilli e Veríssimo de Jesus.

De acordo com a denúncia, Edir Macedo e os demais acusados há cerca de 10 anos vêm se utilizando da igreja para a prática de fraudes. Durante as investigações, os promotores conseguiram localizar milhares de depósitos em dinheiro em favor da Igreja Universal. Somente no período entre março de 2003 a março de 2008, esses depósitos somaram R$ 3,9 bilhões, de acordo com o MPE.

Levantamento feito pelo MPE e pela Polícia Civil, com base em dados bancários e fiscais obtidos judicialmente, mostra que a Igreja Universal movimenta cerca de R$ 1,4 bilhão por ano no Brasil, dinheiro arrecadado por meio do pagamento de dízimo por seus milhares de fiéis espalhados por 4.500 templos, instalados em 1.500 cidades do País.

A acusação formal foi oferecida no último dia 5 pelo MPE, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) - Núcleo São Paulo, e recebida pelo juiz da 9ª Vara Criminal da Capital.

Dízimo
Na denúncia, o MPE destaca que Edir Macedo e outros bispos destinavam grande parte de sua pregação para a coleta do dízimo, enfatizando a necessidade de a igreja angariar recursos para a compra de óleos santos de Israel, o financiamento de novos templos e o pagamento de pregações nas rádios e TVs. A Universal aceitava cheques, carros e outros bens como doação.

Ainda segundo a denúncia, Edir Macedo e os outros denunciados se aproveitaram da imunidade tributária estabelecida pela Constituição para templos religiosos e passaram a utilizar a Igreja Universal para benefício próprio, captando os valores dos dízimos, ofertas e contribuições dos fiéis, investindo em bens particulares, como imóveis, veículos ou joias. Para os promotores, ficou comprovado que o dinheiro das doações, em vez de ser utilizado para a manutenção dos cultos, era desviado para atender a interesses particulares dos denunciados.